VOCÊ SABIA?

No dia a dia do escritório nos deparamos com as mais variadas dúvidas dos clientes sobre seus direitos sociais e previdenciários.
Elencamos algumas questões mais comuns e trouxemos à tona para elucidação.
1) É verdade que seu o(a) viúvo(a) que recebe pensão por morte perde o benefício caso venha a contrair novo matrimônio ou conviver maritalmente com novo companheiro?
R: Não é verdade, pois o casamento ou a convivência marital não é motivo legal para a perda do benefício.

2) E se o novo(a) marido/esposa ou companheiro(a) da(o) viúva(o) ou pensionista também vier a falecer, terá ela(e) direito à duas pensões?
R: Não, neste caso haverá que se optar por uma das duas pensões, prevalecendo a de maior valor

3) Procede a informação de que a concessão de benefício previdenciário permite com que a empresa demita o funcionário aposentado sem ter que pagar a multa de 40% do FGTS?
R: Isso só se justifica na hipótese de concessão de aposentadoria por invalidez, não se aplicando nos casos de concessão de outros benefícios previdenciários.

4) O tempo de afastamento por incapacidade (auxílio-doença, auxílio-acidente, etc.) conta como tempo de contribuição?
R: Sim, todo afastamento será computado como tempo de contribuição.

5) Caso o segurado continue trabalhando/contribuindo após a concessão da aposentadoria, será possível computar este tempo para aumentar o valor da renda?
R: Não, esta possibilidade já foi afastada pelo Poder Judiciário.

Para mais informações agende uma consulta: (11) 3105-1515.

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Retweet